Envíanos un email a discernir@discernir.info Síguenos en Facebook Suscríbete a nuestro canal de YouTube Síguenos en Twitter Arriba
"Y enseñarán a mi pueblo a hacer diferencia entre lo santo y lo profano, y les enseñarán a discernir entre lo limpio y lo no limpio. "(Ez. 44:23)
Artículos
Sobre A Minha Senha do BancoLeer artículo en españolLer em Português
Sobre Mi Clave del Banco

Como milhões de pessoas no mundo, a minha senha de acesso ao banco é uma data.

Mas, não é a data em que nasci, nem a que me casei ou nem sequer a data em que o meu gato nasceu, que não sei quando nasceu, porque foi recolhido na rua.

É uma data muito mais especial para mim.

Há mais de 20 anos, a minha família se congregava em um lugar onde a liderança era adepta da Nova Reforma Apostólica, e naquele momento não entendíamos nada dessa praga que infestaria milhões de púlpitos no mundo inteiro, causando a grande apostasia que vemos hoje-em-dia.

Alguma coisa começou a "cantar", quando passava pelo filtro da Bíblia.

Então, veio aquilo que todos que foram livres desse jugo de falsos ministros conhecem:

  1. Você começa a fazer perguntas para entender o que é o que você está achando estranho.
  2. O falso ministro fica zangado porque interpreta que as suas perguntas são para atacar a sua "autoridade".
  3. Depois, etiquetam você como rebelde, filho do diabo, ou seja lá o quer for nessa lista.
  4. Sem você se tocar, você passa a ser o "Sugismundo" da congregação e até a sua família tem medo de cumprimentá-lo.
  5. A estas alturas, já proibiram você de servir porque você está "fora da ordem de Deus, já que você tocou o ungido", e você é tratado como se tivesse a lepra. Ninguém lhe toca. Quando você chega, ouve-se o silêncio e cada pessoa vai fazer outra coisa.
  6. Finalmente, com dor no coração, você vai embora daí, mas a coisa não acaba.
  7. O "ungido" usa você como exemplo no púlpito para os outros, amaldiçoando-o e se assegurando de que todas as pragas do inferno cairão sobre você – E SOBRE AQUELES QUE SIGAM O SEU EXEMPLO – já que ousou se rebelar contra o "ungido".

E bla, bla, bla... O roteiro é o mesmo, porque procede do próprio inferno.

Todo esse processo, contado assim, parece fácil e rápido, mas, desde que começa até ao seu desenlace, pode demorar um par de anos e é muito, muito doloroso para a vítima, principalmente quando alguns dos seus seres mais queridos continuam dentro do sistema e se tornam contra você. É um processo completamente diabólico.

Um ano ou dois depois de atravessar esse doloroso processo, meu marido e eu estávamos viajando com um irmão para outra cidade e, conversando dentro do carro, estávamos contando para ele como nos impediram de continuar servindo no Reino de Deus e como isso era doloroso para nós.

Então, esse irmão perguntou: "Vocês sabem o que querem fazer?"

"Sim", respondemos.

"Vocês têm os meios para fazê-lo?"

"Sim", respondemos.

"Então, o que impede que vocês o façam?", perguntou.

Essa pergunta foi libertadora. Antes, existia um "ungido" que exigia obediência cega e que nos julgava segundo a sua arrogância. Agora, éramos livres de seguir o Senhor Jesus e de servir-lhe com o que Ele havia posto em nossas mãos.

Nem NADA, nem NINGUÉM nos impedia, mas sim o condicionamento sectário ao que havíamos sido submetidos.

Essa data marcou um antes e um depois na nossa vida porque, a partir de aí, começamos a seguir a senda que o Senhor foi marcando para nós e, chegamos até aqui, na confiança de que continuaremos servindo-lhe enquanto tenhamos alento de vida e procuraremos fazer o melhor e com o máximo carinho para o nosso Rei Jesus.

Por isso, essa data virou a nossa senha do banco. Porque, todos os dias, para administrar a nossa economia, temos que usar essa data e nos lembramos de que:

  1. 1. Jesus Cristo trouxe-nos liberdade de todo jugo de escravidão da mentira: "Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres." (1 João 8:36)
  2. 2. Depois de Cristo, TODOS os seus discípulos são igualmente ungidos, porque têm a unção do Santo: "E vós tendes a unção do Santo e sabeis tudo." (1 João 2:20)
  3. 3. Cristo veio desfazer as obras de satanás: "Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo." (1 João 3:8)
  4. 4. Jesus é o fiel Pastor que nos guarda de todo o mal, ainda que nos deixemos enganar durante um tempo. Se formos fieis em buscá-lo, Ele nos guiará: "O Senhor é o meu pastor." (Salmos 23:1)
  5. 5. O Seu Espírito Santo nos guiará em toda verdade, se lhe deixarmos: ""... quando vier aquele Espírito da verdade, ele vos guiará em toda a verdade..." (João 16:13)

Assim, nunca, jamais deixe de seguir a Cristo por muito pomposo que seja o título de um "ungido" que exija que você o obedeça cegamente. Agarre-se no Senhor em oração e no seu Espírito Santo, lendo a Bíblia, porque ela é a luz que você necessita para caminhar por esta vida.

E, se alguém ensinar outra coisa que não for a Bíblia, como Paulo disse, seja anátema. Dê as costas para essa pessoa e não tenha medo de abandoná-la imediatamente.

Só Cristo morreu por nós e só a Ele devemos nossa adoração.

Ah... a minha senha do banco...

Bem, não vou contar para você em que dia essas coisas aconteceram. Não quero que ninguém perca o tempo entrando na minha conta de banco. Digamos que não causaria inveja a nenhum falso ministro da Nova Reforma Apostólica... só tem o suficiente para louvar a Deus pelo Seu cuidado e fidelidade.

Aliás, faltou contar que, desde aquele dia, Deus SEMPRE supriu tudo o que necessitamos para fazer o que nos mandou fazer. Uma das muitas coisas que aprendemos foi que Deus é quem financia a SUA obra.

Recomende esta páginaLer a Política de Cookies e Privacidade


Quer receber uma cópia do e-mail? Sim Não

Ir à Hemeroteca