Envíanos un email a discernir@discernir.info Síguenos en Facebook Suscríbete a nuestro canal de YouTube Síguenos en Twitter Arriba
"Y enseñarán a mi pueblo a hacer diferencia entre lo santo y lo profano, y les enseñarán a discernir entre lo limpio y lo no limpio. "(Ez. 44:23)
Artículos
O Privilégio de Servir a Jesus Leer artículo en españolLer em Português
Dios Falló a Jeremías

Jesus é Deus. Todas as coisas foram feitas por Ele e para Ele, incluindo o ser humano. Ou seja, você e eu fomos feitos por Ele e para Ele.

Ele deu para o ser humano um lugar especial na criação, fazendo-nos à Sua imagem e semelhança e encarregando-nos de cuidar a Terra. Notemos que Deus ordenou que cada coisa fosse feita, como a luz, as águas, os animais, etc. Mas no caso do homem, foi diferente. Deus o amoldou com Suas próprias mãos e depois soprou nele o hálito de vida, ou seja, espírito vivo procedente do Seu Espírito.

Depois disso, o homem e a mulher pecaram, e quando Deus lhes deu a oportunidade de se arrependerem, estes a desperdiçaram. Mas Deus continuou mostrando Seu trato especial com o ser humano e estabeleceu o resgate: sangue inocente derramado por causa pecado.

Durante os próximos 4.000 anos Deus enviou profetas que falaram de quem e como seria o Cordeiro do sacrifício, para que ninguém tivesse dúvidas.

Veio, pois, o Filho Amado, o Cordeiro de Deus, e derramou Seu precioso sangue na cruz, para pagar o preço pelo pecado do ser humano. Não havia ninguém mais que cumprisse o requisito: ser limpo de pecado.

Pare e pense quão importante é para o Pai e para o Filho que o ser humano seja restaurado em sua relação com Deus. É tão valioso como a vida de Seu Filho Amado.

Continuemos...

Quando Jesus veio, e antes de entregar sua vida na cruz, Ele passou tempo mostrando o Reino de Deus para as pessoas e convidando a todos ao arrependimento. Começou pregando: "Arrependei- vos, porque é chegado o reino dos céus". (Mt. 4:17)

Sua pregação foi essa todo o tempo e a única ordem que deu à Igreja presente quando Ele foi arrebatado ao céu foi: "Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos." (Mt. 28:9-20)

Ou seja, em toda a Bíblia, inspirada pelo Espírito Santo, é-nos manifestado que a preocupação do Pai é a restauração do homem para que volte a relacionar-se com Ele.

Por isso, e por nada mais, Seu Filho Amado morreu na cruz.

Não se sabe que mistérios de Sua bondade e generosidade, Jesus, quem é a Cabeça da Igreja, deu àqueles que o seguimos o privilégio de colaborar com Ele em difundir as boas novas. O Espírito Santo nos capacita para fazê-lo por meio dos dons espirituais.

Mas, quero enfatizar algo do qual a miúdo esquecemos:

  1. Somos salvos, feitos filhos de Deus e parte do Corpo de Cristo, por SUA misericórdia e SEU sacrifício.
  2. Somos chamados a participar na difusão das boas novas por SEU chamado e SUA graça.
  3. Somos capazes de fazê-lo porque SEU Espírito Santo nos da o poder para testificar de SEU Reino..
  4. Recebemos a potestade de curar enfermos e de expulsar demônios por SEU decreto e SEU poder.

Com frequência falsos ministros nos passaram a ideia de que ser apóstolo, profeta, evangelista, pastor ou mestre é um grau e um título que reflete nossa importância sobre as outras pessoas.

Por que muitas vezes essa mentira é engolida? Porque no coração do ser humano há orgulho e isso o leva a querer ser melhor que seus congêneres.

Passamos então a esforçar-nos em "aumentar nossa glória, fama, fortuna, etc.". Também continuamos e aplaudimos os outros que "aumentaram sua glória, fama, fortuna, etc." e passamos a idolatrar homens corruptos. Sobretudo, aumentamos sua fama, glória e fortuna.

Fazer isso é pisotear o sangue de Cristo, derramado para a redenção do homem e não para a glória de pessoas corruptas pelo orgulho.

Todos os que caímos nesta armadilha devemos nos arrepender, porque permitimos que o orgulho nos nublasse a visão, afastando-nos do verdadeiro propósito e único chamado: pregar o Reino de Deus para salvação do ser humano.

Os anjos desejaram esse privilégio, mas foi-lhes negado.

Poder ser instrumento para que uma pessoa mude seu destino eterno, de perdição a salvação, é um privilégio assombroso.

Medite sobre isto: esse privilégio não seria possível se não fosse por SUA graça.

Nós não temos mérito algum nisso. Portanto, exercer o serviço como apóstolo, profeta, evangelista, pastor ou mestre é um privilégio que FOI-NOS DADO por el Señor del Universo. Diante disso, só nos resta pedir perdão por nos deixarmos distrair, agradecer, adorar e ir pregar o evangelho a toda criatura, começando hoje mesmo.

Recomende esta páginaLer a Política de Cookies e Privacidade


Quer receber uma cópia do e-mail? Sim Não

Ir à Hemeroteca